Busca:
Notícias Notícias:
Publicada em 21/08/2019 às 23:52
Quatro meses após temporal, moradores da Barrinha temem novo deslizamento próximo ao túnel da Linha 4 do metrô
Quatro meses após temporal, moradores da Barrinha temem novo deslizamento próximo ao túnel da Linha 4 do metrô
Moradores temem que a terra e as pedras soltas na encosta deslizem num temporal Foto: Bruno Kaiuca

 No forte temporal que atingiu a cidade no dia 8 de abril , a encosta por onde passa a Linha 4 do metrô , na Estrada da Barra da Tijuca , desabou. O trecho foi isolado com uma fita de proteção colocada pela Defesa Civil , mas, quatro meses depois, ela está jogada no chão. O problema não foi resolvido, e, além de pedras que parecem estar soltas , há um vazamento de água constante no local.

— Não fizeram contenção . Se houver outra tempestade , as pedras podem rolar, e a lama vai invadir a pista novamente — reclama Marco Ripper, presidente da Associação de Moradores da Barrinha e do Quebra-Mar. — Quando o metrô trepida, elas chegam a balançar. Aposto que só vão agir quando houver um acidente . E, com a água escorrendo o tempo todo ali, não dá para passar de bicicleta.

Além das pedras soltas na encosta e do vazamento de água, Ripper reclama do calçamento da área, que está esburacado:

— É um perigo para os pedestres. Se alguém passa distraído, cai e pode se machucar. O acesso para pedestres já era ruim; agora piorou: é preciso atravessar para o outro lado da rua, que tem pontos até sem calçada.

A falta de conservação no local vem se juntar a outro problema que a Barrinha enfrenta há anos: moradores se queixam das condições do asfalto da Rua Maria Luísa Pitanga. Há quem afirme até que um ponto está cedendo . A via é um dos três acessos à Barrinha e tem grande movimento de carros diariamente.

—A rua está toda esburacada . O asfalto ficou pior quando começaram as obras do metrô e do Elevado do Joá: foi quando começaram a circular mais caminhões por lá. Além disso, a Maria Luísa Pitanga fica em cima de um mangue , o que requer certos cuidados — lamenta Janaína Uzai, presidente da Associação de Moradores da Barrinha (Amob). — A situação só está se agravando , e corremos o risco de perder uma entrada para o bairro. Avisamos à Superintendência da Barra, mas nada foi feito. A Barrinha virou um canteiro de obras, e sofremos as consequências até hoje.

A Secretaria municipal de Infraestrutura e Habitação, por meio da Geo-Rio, informa que foram feitas demolições de blocos rochosos na encosta da Estrada da Barra da Tijuca e garante que as pedras restantes não apresentam risco de deslizar para a pista. A pasta explicou que o material está sendo removido aos poucos, para utilização em outras obras da prefeitura na região.

Também procurada, a Secretaria de Conservação enviou na última terça-feira uma equipe da Operação Tapa-Buracos à Rua Maria Luísa Pitanga. A pasta afirma também que técnicos vão à Estrada da Barra da Tijuca para fazer uma vistoria e programar os serviços necessários. Caso alguma demanda envolva outras secretarias, o próprio órgão as notificará.

« leia mais notícias

fonte: https://oglobo.globo.com/rio/bairros/quatro-meses-apos-temporal-moradores-da-barrinha-temem-novo-deslizamento-proximo-ao-tunel-da-linha-4-do-metro-23891183

Cadastre-se para receber a nossa newsletter: